Embaixador da China em Moçambique garantiu que mais empreendimentos chineses surgirão no país

14 November 2010

Maputo, Moçambique, 15 Nov – O embaixador da China em Moçambique, Huang Songfu, garantiu sexta-feira em Maputo que mais empreendimentos chineses surgirão no país.

O diplomata chinês fez aquela afirmação no decurso da inauguração do novo terminal internacional de passageiros do Aeroporto Internacional de Maputo, acto presenciado pelo presidente moçambicano, Armando Guebuza e pelo ministro dos Transportes e Comunicações, Paulo Zucula.

O terminal internacional de passageiros representa a segunda fase da recuperação e modernização do Aeroporto Internacional de Maputo, depois de na primeira ter sido inaugurado o terminal de carga, que ocorreu em 2009.

As obras da terceira fase, que será a última, consistirão na recuperação e modernização do terminal doméstico de passageiros, que deverá ter início nos primeiros meses de 2011.

“A inauguração deste empreendimento reflecte a dinâmica que Moçambique está a conhecer”, disse o embaixador chinês, ao mesmo tempo que sublinhava que “a inauguração do terminal é um sinal de que mais empreendimentos chineses vão surgir no país”.

A recuperação do Aeroporto Internacional de Maputo iniciada há pouco mais de dois anos a cargo da empresa chinesa Anhui Foreign Economic Construction Corporation (AFECC) custou até agora 75 milhões de dólares, um crédito misto da China, sendo 50 milhões de dólares de crédito bonificado e 25 milhões de dólares de crédito comercial.

Estima-se que o aeroporto de Maputo passará a movimentar 900 mil passageiros, por ano, a partir de 2016 contra os actuais 450 mil passageiros.

Com a modernização em curso, o aeroporto de Maputo passará a ter capacidade para receber aviões Boeing 757 e 767, estando a receber actualmente aparelhos do tipo Airbus 340.

Empresas chinesas estão envolvidas em diversos sectores, em Moçambique, sendo de destacar a construção de infra-estruturas.

Têm carreiras para Moçambique, entre outras companhias aéreas, a TAP Air Portugal, a South African Airways (SAA), a Kenya Airways e a transportadora aérea angolana Taag.

Moçambique e a China estão a analisar o possível estabelecimento de ligações aéreas directas entre Xangai e Maputo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH