Zonas económicas especiais em Moçambique estão a atrair investidores

15 November 2010

Maputo, Moçambique, 16 Nov – As zonas económicas especiais de Nacala, em Nampula, e Beluluane, província de Maputo, estão a atrair investidores, disse segunda-feira em Maputo o director-geral do Gabinete das Zonas Económicas de Desenvolvimento Acelerado (Gazeda).

No decurso de um encontro com representantes de missões diplomáticas e consulares acreditadas em Moçambique, para promover as oportunidades de negócios e atrair investidores para as zonas económicas especiais, Danilo Nalá afirmou que em Nacala, excluindo os grandes projectos, estão a ser executados cinco projectos industriais nas áreas alimentar, de cimento, óleos e agro-indústrias, com um valor estimado em 280 milhões de dólares.

Na zona franca de Beluluane, por seu turno, estão instaladas cerca de 20 pequenas e médias empresas, na sua maioria prestando assistência à fundição de alumínio Mozal, num processo que exigiu um investimento de 63 milhões de dólares.

No encontro, o chefe do departamento das Zonas Económicas Especiais no Gazeda, Simão Joaquim, disse que em breve serão construídas duas linhas de fornecimento de energia eléctrica a Nacala, uma ligando Chimuara (Zambézia) e Nampula, e a outra ligando Nampula e Pemba (Cabo Delgado), além do reforço da actual linha de Nacala.

Em 2007, o governo de Moçambique aprovou através a criação da Zona Económica Especial de Nacala para promover o desenvolvimento integrado da região norte do país e servir os países do interior.

Para o efeito, aprovou a concessão de incentivos que incluem, entre outros, a isenção de direitos aduaneiros na importação de materiais de construção, máquinas e equipamentos destinados à prossecução de actividades das empresas licenciadas para operar naquele espaço territorial. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH