EIU considera que economia de Angola deverá crescer a uma taxa média de 7,4 por cento de 2011 a 2015

10 December 2010

Londres, Reino Unido, 10 Dez – A economia de Angola deverá crescer a uma taxa média de 7,4 por cento ao longo dos próximos cinco anos, com uma máxima de 8,5 por cento em 2012 e mínima de 6,4 por cento em 2015, de acordo com as previsões mais recentes da Economist Intelligence Unit (EIU).

Para este ano, a Economist Intelligence Unit antecipa um crescimento da economia angolana estimado em 2,9 por cento.

No seu relatório de Dezembro, a EIU adianta que o crescimento do produto em Angola no período 2011/2015 ficará a dever-se, fundamentalmente, ao aumento da produção de petróleo, que deverá passar de uma média actual de 1,84 milhões de barris/dia para 2,2 milhões de barris/dia em 2015.

No entanto, prossegue o relatório, a economia de Angola poderá crescer a taxas inferiores se se registarem problemas na indústria de extracção de petróleo e
se a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) tentar exigir de Angola mais respeito pelo tecto de produção decidido pelo cartel.

O pico previsto para 2012 nas taxas de crescimento da economia de Angola fica a dever-se à provável entrada em funcionamento do projecto LNG (gás natural liquefeito, na sigla em inglês), desacelerando para um média de 7,1 por cento nos três anos seguintes – 2013, 2014 e 2015.

A EIU diz ainda que independentemente do crescimento económico, a expansão económica em Angola continuará a ser de capital intensivo e dependente das
importações, com poucas ligações a outros sectores da economia que não os dependentes do governo, como a construção civil e a finança.

A inflação deverá aumentar este ano para 14,5 por cento, devido ao aumento dos preços dos combustíveis após a redução dos subsídios e à continuada desvalorização do kwanza, manter-se no mesmo valor em 2011 e começar a desacelerar em 2012, com 12,8 por cento, até atingir um mínimo de 9,5 por cento
em 2015. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH