Sistema financeiro de Angola vai consolidar-se a prazo

16 December 2010

Porto, Portugal, 16 Dez – O sistema financeiro angolano vai ser palco de “operações de consolidação a curto ou a médio prazo”, afirmou ao português Jornal de Notícias Pedro Subtil, “parceiro” da área financeira da empresa de consultoria KPMG Portugal.

“Até aqui, o crescimento tem sido orgânico, mas vamos muito em breve observar crescimento inorgânico [da banca angolana], já que pela dimensão do mercado não se justifica a existência de tantas instituições”, acrescentou Pedro Subtil.

Vítor Ribeirinho, responsável pela área de auditoria da KPMG Portugal, disse que os bancos angolanos dominados por grupos portugueses deverão ficar à margem deste movimento.

“As operações dos bancos portugueses estão focalizadas na bancarização. Primeiro fizeram uma abertura maciça de sucursais em Luanda, agora estão a expandir a rede para as restantes províncias pelo que a consolidação do sistema vai passar por pequenos nichos e pequenas instituições”, adiantou Ribeirinho.

De acordo com o estudo “Análise ao Sector Bancário Angolano”, no final de 2009 havia 20 bancos a operar em Angola, sendo que os primeiros cinco, entre os quais o Banco Espírito Santo Angola e o Banco de Fomento, controlado pelo BPI, controlavam mais de 50 por cento dos depósitos do sistema.

Nesse exercício, o activo médio do sistema cresceu 30 por cento, tendo sido abertas 100 novas agências. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH