Banco de Moçambique afirmou que medidas do governo para reduzir o custo de vida foram insuficientes

12 January 2011

Maputo, Moçambique, 12 Jan – As medidas adoptadas pelo governo de Moçambique para atenuar o custo de vida são “insuficientes” embora tenham permitido amortecer a pressão sobre os preços, afirmou o Banco de Moçambique em nota divulgada na sua página electrónica.

Na nota, o banco central adianta que as medidas “não (foram) suficientes para anular o aumento dos preços e a pressão sazonal associada à quadra festiva” mas reconhece que o conjunto de medidas “de natureza fiscal, orçamental e monetária para atenuar o custo de vida aplicadas em Setembro de 2010 revelaram-se importantes para amortecer a pressão dos preços e contrariar as expectativas de inflação por inércia”.

Nos dias 1 e 2 de Setembro de 2010, populares das cidades de Maputo e Matola, sul, protestaram contra a subida do custo de vida, tumultos que resultaram na morte de pelo menos 18 pessoas, ferimentos em mais de 500 e na detenção de outras 300.

Em resposta, o governo moçambicano decidiu congelar os preços de bens essenciais até ao final do ano e em Dezembro prorrogou a medida até ao final do primeiro trimestre de 2011.

Dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística de Moçambique indicam que, no mês de Dezembro de 2010, o Índice de Preços no Consumidor da cidade de Maputo registou um crescimento de 3,48 por cento, superando o observado em igual período dos últimos três anos e o do mês de Novembro do ano passado. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH