Patronato de Moçambique criticou decisão do banco central de aumento das taxas directoras

18 January 2011

Maputo, Moçambique, 18 Jan – A Confederação das Associações Económicas (CTA) de Moçambique criticou as medidas anunciadas na semana passada pelo Banco de Moçambique para travar o aumento dos preços, em carta que foi divulgada pelo diário Notícias, de Maputo.

Na carta, os empresários pedem que o banco central recue e atacam a governação do banco por “não privilegiar os canais de diálogo estabelecidos entre o governo e o sector privado”.

No dia 11 de Janeiro, a Comissão de Política Monetária do Banco de Moçambique decidiu subir as taxas directoras, as principais variáveis no comportamento das taxas de juro praticadas no mercado, tendo, por exemplo, o Coeficiente de Reservas Obrigatórias, a percentagem dos depósitos que os bancos comerciais depositam diariamente no banco central, subido de 8,75 por cento para 9 por cento.

Num documento em seis pontos, os empresários defendem que o aumento das taxas directoras terá impacto nas taxas de juros praticadas pela banca comercial, uma vez que a maioria dos créditos concedidos pelos bancos é indexada à taxa de Facilidade Permanente de Cedência, situação que irá reduzir ou pôr termo às decisões de investimento privado na economia devido ao aumento do custo de financiamento, que reduz a capacidade de endividamento, afectando, assim, o crescimento económico. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH