Governador do Banco de Moçambique aconselhou governo a renegociar contratos com multinacionais

31 January 2011

Maputo, Moçambique, 1 Fev – O governo deve renegociar os contratos que foram assinados com as multinacionais, aconselhou no passado fim-de-semana o governador do Banco de Moçambique, alertando para o risco de “tensões sociais” caso o país não retire benefícios dos grandes investimentos.

As isenções fiscais e o regime de repatriamento de lucros concedidos às multinacionais que operam no país têm sido muito contestados por alguns economistas moçambicanos, mas o governo tem-se escudado na credibilidade do país para recusar a renegociação dos acordos com os grandes projectos.

Falando em Inhambane, sul de Moçambique, durante uma reunião do Conselho Consultivo do banco, Ernesto Gove observou que o país deve ter capacidade e argumentação técnica para renegociar, sem que se instale a instabilidade e a imprevisibilidade legislativa.

Ernesto Gove advogou igualmente a necessidade de Moçambique aproveitar as mais-valias dos recursos naturais explorados pelas multinacionais por entender que a exportação de matérias-primas impede o país de arrecadar mais ganhos.

Dezenas de multinacionais estão envolvidas na pesquisa e exploração de minerais e de hidrocarbonetos no país, principalmente carvão. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH