Angola importa da China quase que apenas bens de consumo

14 February 2011

Luanda, Angola, 15 Fev – As importações de Angola provenientes da China são constituídas em 90 por cento por bens de consumo e o restante por máquinas e equipamentos, revela uma pesquisa do Centro de Estudos e Investigação Científica da Universidade Católica de Angola (Ceic/Ucan).

De acordo com o estudo “A presença da China em Angola: factos e mitos”, citado pela agência noticiosa angolana Angop, as exportações angolanas são maioritariamente compostas por matérias-primas como petróleo, em 88 por cento, diamantes e sucatas.

Por outro lado, a pesquisa cita Angola como o país que em África tem as linhas de crédito mais avultadas e que detém actualmente a primeira posição de parceiro comercial africano da China.

Faz referência também ao extraordinário crescimento económico chinês que só é possível com o fornecimento de matérias-primas, de que o petróleo é um dos principais, sendo Angola o segundo maior fornecedor em 2009, com 39 por cento do total das exportações de petróleo angolano.

O estudo, que visou obter informações e dados sobre as trocas comerciais entre os dois países, faz um histórico do início das relações bilaterais, o período de alcance da paz em Angola e suas necessidades de reconstrução nacional, assim como aponta a carência da China em matérias-primas para sustentar o seu crescimento económico.

Em 2010, a China importou de Angola bens no valor de 22 812 milhões de dólares e Angola comprou à China mercadorias cujo valor se cifrou em 2 mil milhões de dólares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH