Grupo brasileiro Vale espera iniciar exportação de carvão de Moçambique em Junho/Julho

21 February 2011

Tete, Moçambique, 22 Fev – O grupo brasileiro Vale espera começar a exportar carvão extraído em Moçambique em Junho ou Julho apesar do atraso registado nas obras de reconstrução da linha de caminho-de-ferro do Sena, disse em Tete Paulo Horta, gestor de projectos do grupo.

“Estamos perto de uma solução”, adiantou Horta, que acrescentou que a unidade de processamento de carvão e a linha de caminho-de-ferro serão alvo de testes em Maio a fim de que os primeiros transportes rumo ao porto da Beira, na província de Sofala, possam ocorrer na data mencionada.

O consórcio indiano Ricon, constituído pelos grupos estatais Rites e Ircon, foi recentemente ameaçado pelo governo de Moçambique de ver a concessão da linha de caminho-de-ferro do Sena entregue à estatal Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique se até 24 de Março não concluir as obras.

A Vale planeia produzir 1 milhão de toneladas de carvão para exportação em 2011 e aumentar esse volume para 6 milhões de toneladas em 2012, 8,5 milhões de toneladas em 2013 e 11 milhões de toneladas em 2014, segundo Horta, citado pelo jornal brasileiro DCI – Diário Comércio Indústria e Serviços.

O projecto Moatize, da Vale, deverá tornar-se o principal projecto de carvão do grupo, cuja primeira fase de desenvolvimento irá consumir 1,6 mil milhões de dólares.

Em 2010, a Vale produziu 3,9 milhões de toneladas de carvão em suas operações na Austrália e cerca de 3 milhões de toneladas na Colômbia. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH