Investimentos no Corredor de Maputo, Moçambique, ultrapassaram já 5 mil milhões de dólares

22 February 2011

Maputo, Moçambique, 22 Fev – Os projectos de desenvolvimento de infra-estruturas no Corredor do Maputo consumiram mais de cinco mil milhões de dólares desde que a iniciativa foi lançada há 14 anos, de acordo com uma avaliação divulgada pela Maputo Corridor Logistics Initiative (MCLI).

No documento, a MCLI faz referência à conclusão e início da operação da estrada com portagem Maputo/Witbank (Nacional 4), a concessão de terminais portuários a gestores privados e consequente envolvimento deste sector na melhoria das infra-estruturas e o aumento do tráfego portuário de cerca de três milhões de toneladas em 1996 para perto de 17 milhões de toneladas em 2009.

Paralelamente, há registo para o aumento dos serviços de navegação, com particular destaque para o transporte de contentores, o aumento do turismo e comércio entre Moçambique, Suazilândia e África do Sul, entre outros avanços considerados relevantes.

O Corredor do Maputo foi lançado com o objectivo de promover a recuperação das principais infra-estruturas de transporte rodoviário, ferroviário e do porto do Maputo, incluindo a modernização da fronteira entre Moçambique e África do Sul e a maximização do desenvolvimento social através da criação de oportunidades de emprego para as comunidades ao longo da Nacional 4.

O Corredor do Maputo é considerado modelo em termos de parcerias, gestão e capacidade de atracção de negócios a nível da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC, na sigla em inglês).

Até muito recentemente o Corredor da Beira era assumido como referência a nível da região, estatuto que viria a perder devido à crise política que condiciona o desempenho da economia do vizinho Zimbabué.

No total são 12 os corredores disponíveis na região da SADC, o menor dos quais é o de Goba, que liga Moçambique à Suazilândia, com apenas 226 quilómetros de extensão. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH