Petróleo descoberto em Moçambique não justifica exploração comercial

25 February 2011

Maputo, Moçambique, 25 Fev – O petróleo já descoberto na bacia do Rovuma é em quantidade diminuta não sendo passível de exploração comercial, afirmou quinta-feira em Maputo o administrador do Instituto Nacional de Petróleo de Moçambique, Carlos Zacarias.

Em Agosto de 2010, a empresa norte-americana Anadarko Petroleum anunciou a descoberta de petróleo na bacia do Rovuma, mas Carlos Zacarias adiantou à agência noticiosa portuguesa Lusa que, embora ali exista algum petróleo, a composição geológica dos terrenos faz com que o produto ali encontrado não seja interessante em termos de comercialização.

“Normalmente, o gás ou petróleo é encontrado em reservatórios, que são areias, que têm de ter qualidades tais que permitam que o gás ou petróleo possa fluir. Isso não se verificou nestes furos” na bacia do Rovuma, disse Carlos Zacarias.

Em finais de 2009, uma intensa actividade de pesquisa na bacia do Rovuma, que se prolongou até ao início de 2010, resultou na realização de seis furos, tendo sido descoberto gás natural em quatro.

O petróleo associado ao gás foi descoberto no terceiro furo denominado Ironclad, depois de no segundo furo, designado Windjammer, aberto em Fevereiro do ano passado, a multinacional norte-americana ter anunciado a descoberta de gás no mar, a uma profundidade de 3600 metros.

Além da Anadarko Petroleum, existem mais três empresas a fazer pesquisa e prospecção de hidrocarbonetos na bacia do Rovuma – a Eni (Itália), Petronas (Malásia) e a Statoil (Noruega), que estão a terminar a avaliação dos dados sísmicos, para posteriormente programar a realização de furos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH