Agência de notação financeira Moody’s baixou “rating” de Portugal de A3 para A1

15 March 2011

Lisboa, Portugal, 16 Mar – A agência de notação financeira Moody’s anunciou terça-feira ter revisto em baixa o “rating” de Portugal em dois níveis, de A1 para A3, com uma perspectiva negativa, justificando a decisão com quatro factores.

Em primeiro lugar, a Moody’s menciona a incerteza em torno das perspectivas de crescimento e produtividade no curto/médio prazo até que as reformas estruturais, sobretudo no mercado do trabalho e no sistema judicial, comecem a dar frutos.

O segundo factor tem a ver com os riscos de execução das “metas de consolidação orçamental do governo”, sendo o terceiro a possibilidade de o governo português ter de aprovar medidas de ajuda ao sistema financeiro do país, o que iria colocar uma pressão acrescida sobre as contas públicas.

A quarta e última justificação da agência de notação financeira diz respeito às condições do mercado “que levaram ao aumento dos custos de financiamento do país”.

A Moody’s alertou que, se se mantiverem, estas condições vão causar um enfraquecimento da sustentabilidade da dívida pública de Portugal, “particularmente num contexto de juros mais elevados na Europa”.

As perspectivas para a avaliação de Portugal permanecem negativas, pelo facto de a Moody’s considerar que é mais provável haver um novo corte no “rating” do que uma subida ao longo do próximo ano ou dois anos.

Com esta decisão, a Moody’s concluiu o processo de revisão ao “rating” de Portugal que tinha iniciado a 21 de Dezembro de 2010.

Esta revisão em baixa da notação financeira de Portugal deverá vir a ter efeito sobre as novas emissões de dívida, nomeadamente a de Bilhetes do Tesouro com maturidade em Março de 2012 e um montante indicativo entre 750 milhões e mil milhões de euros que o Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público leva hoje a leilão. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH