Coreia do Sul quer ser parceiro de Angola em diversos sectores

20 March 2011

Luanda, Angola, 21 Mar – A Coreia do Sul pretende assumir-se, a curto prazo, como um parceiro estratégico indissociável de Angola, contribuindo para o desenvolvimento do país em vários sectores, particularmente do petróleo, energia e construção civil, afirmou sexta-feira, em Luanda, um membro do governo sul-coreano.

Kim Jung Gwan, ministro-adjunto para as Políticas de Energia e Recursos do Ministério da Economia e Conhecimento da Coreia do Sul, disse que muitos países africanos, em particular Angola, estão a despertar atenção do mundo inteiro pela sua estabilidade e recursos naturais e acrescentou que o seu país não quer ficar alheio a estas oportunidades de negócio.

“Angola é um país que está a crescer muito desde o fim da guerra civil e, fruto disso, tem vindo a registar um crescimento económico de dois dígitos. Está a construir inúmeras e imponentes infra-estruturas, mas precisa atrair investimentos de maiores escalas, sobretudo na área da indústria”, disse Kim Jung Gwan, citado pela agência noticiosa angolana Angop.

Por seu turno, o ministro da Economia de Angola, disse que o governo angolano espera que os empresários sul-coreanos viabilizem a intensificação da cooperação económica entre os dois países, facilitando a transferência de tecnologia para Angola.

Abraão Gourgel, que discursava no Fórum Económico Angola/Coreia do Sul, disse que Angola dá prioridade ao investimento directo estrangeiro daquele país asiático e dá suporte institucional à constituição de parcerias com empresários angolanos nas áreas da agricultura, geologia, minas, indústria transformadora, pecuária e pescas.

De acordo com o ministro, o mercado angolano oferece muitas oportunidades de negócio, daí que os apoios são extensivos ao fornecimento e distribuição de energia e águas, refinação de derivados de petróleo e até mesmo nos sectores transversais de apoio a outras áreas como os transportes, comunicações e banca comercial. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH