Grupo português Mota-Engil prevê aumento do volume de negócios este ano em Moçambique

20 March 2011

Lisboa, Portugal, 21 Mar – Moçambique é um dos mercados onde o grupo português Mota-Engil prevê para este ano um aumento do volume de negócios e da rentabilidade, disse o presidente executivo do grupo, Jorge Coelho, citado pela imprensa portuguesa.

Este ano, disse Coelho, o grupo “a que presido vai passar de uma facturação de 58 milhões de euros para cerca de 150 milhões de euros”.

A Mota-Engil iniciou recentemente o processo de mobilização de meios para a construção da nova ponte sobre o rio Zambeze, na cidade de Tete, capital da província do mesmo nome, no centro de Moçambique, orçada em 70 milhões de euros, financiados pelo governo de Moçambique e pelos parceiros da cooperação.

Arnaldo Madaleno, quadro do grupo Mota-Engil, disse, recentemente, ter sido realizado grande parte do trabalho geológico para detectar a camada rochosa onde irão assentar as bases dos pilares da ponte, que ligará a cidade de Tete à vila carbonífera de Moatize.

A nova ponte vai ajudar a descongestionar o tráfego rodoviário na ponte Samora Machel e contribuir para o aumento da capacidade de escoamento de mercadorias para os países vizinhos, particularmente o Malawi e a Zâmbia, bem como para o porto da Beira.

As autoridades governamentais moçambicanas consideram a nova ponte sobre o Zambeze, “uma importante infra-estrutura que se enquadra nos esforços do governo para viabilizar os investimentos que estão a ser feitos na província de Tete”.

Quando concluída, a nova ponte passará a receber todo o tráfego de pesados que actualmente atravessam a ponte Samora Machel, que ficará reservada a veículos ligeiros e peões.

A nova ponte, cujas obras deverão iniciar-se ainda este ano, será gerida ao abrigo de um contrato de concessão de 30 anos que irá implicar a introdução de portagens. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH