Propriedade da Mabor de Moçambique transferida para a empresa portuguesa CNB/Camac

22 March 2011

Maputo, Moçambique, 23 Mar – A propriedade da falida fábrica de pneus Mabor de Moçambique – Manufactura de Borracha foi transferida para a empresa portuguesa CNB/Camac – Companhia Nacional de Borrachas nos termos de um despacho do primeiro-ministro de Moçambique, Aires Ali, informou a imprensa moçambicana.

O despacho, publicado no Boletim da República, I série, de 16 de Fevereiro de 2011, refere ainda que “concluídas as negociações com o investidor, ou seja, com a Camac, urge a necessidade de transferir a seu favor, a título oneroso, o património da Mabor Moçambique”, não fazendo, no entanto, menção ao valor envolvido na transacção.

A adjudicação da Mabor, paralisada há mais de 10 anos, será a 100 por cento, tendo o primeiro-ministro, Aires Ali, designado o Instituto de Gestão das Participações do Estado (Igepe) a representar o Estado moçambicano na venda das referidas acções.

Aliás, foi mesmo o Igepe quem iniciou contactos com os investidores portugueses, com vista a reactivar a antiga fábrica de pneus e outros tipos de borrachas.

Inaugurada em 1979, resultado de uma parceria entre Moçambique e a norte-americana Tyre Company, a Mabor foi uma história de sucesso, mesmo durante a guerra civil de 16 anos que opôs o governo da Frelimo aos rebeldes da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo).

Cerca de um terço das suas exportações tinham como destino o mercado sul-africano e outros países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), como Zimbabué, Botsuana e Namíbia, compravam igualmente pneus a Moçambique.

Em 1995, o governo dos Estados Unidos atribuiu um certificado de qualidade à fábrica, que sete anos depois encerrou após uma greve dos seus operários.

A Mabor Moçambique faz parte de um conjunto de indústrias falidas durante o processo de privatização das empresas, nos anos 90, que culminou com o desmoronamento do Parque Industrial da Matola. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH