São Tomé e Príncipe facturou 5,6 milhões de dólares com a exportação de cacau em 2010

24 March 2011

São Tomé, São Tomé e Príncipe 25 Mar – São Tomé e Príncipe encaixou cerca de 100 mil milhões de dobras (5,6 milhões de dólares) em 2010 com a venda de cacau, que representou 94 por cento das exportações de produtos agrícolas, informou quinta-feira em São Tomé o Instituto Nacional de Estatística (INE) do arquipélago.

O informe do INE adianta que, em termos de valores nominais em dobras, a variação homóloga positiva deveu-se “à cotação e boa qualidade do cacau são-tomense no mercado estrangeiro”.

Em termos de quantidade, observou-se uma variação negativa de 14,5 por cento com a exportação do cacau a baixar de 2 727,6 toneladas em 2009 para 2 332,2 em 2010.

Os restantes 6 por cento na lista de produtos agrícolas exportados foram preenchidos com coco, óleo de coco, flores e plantas.

Na lista das empresas exportadoras do cacau são-tomense em 2010 destacam-se a Cooperativa Exportação de Cacau Biológico (Cecab), seguida da Sociedade Agro-Comercial (Agricon) e da Comércio, Gestão e Investimento (CGI).

A nível dos principais importadores, realce para Portugal, Holanda, Bélgica, Angola, Bahamas, França de entre outros países que compraram dos produtos agrícolas são-tomenses.

Com cerca de 160 mil habitantes, São Tomé e Príncipe ainda está dependente da monocultura do cacau introduzido na segunda década do século XIX pelos colonos portugueses, cuja, produção tem estado a baixar nas últimas décadas por falta de terras cultiváveis, ausência de financiamento e falta de rigor no tratamento das plantações. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH