Volume de negócios do grupo português Teixeira Duarte no Brasil cresceu 108 por cento em 2010

3 April 2011

Lisboa, Portugal, 4 Abr – O grupo português Teixeira Duarte fechou 2010 com um crescimento de 108 por cento do seu volume de negócios no Brasil, onde facturou 162,7 milhões de euros, fazendo do país a terceira maior fonte de facturação do grupo, de acordo com os resultados do grupo em 2010, quinta-feira divulgados em Lisboa.

O Brasil era em 2009 o quarto mercado do grupo, atrás de Portugal, Angola e Argélia tendo em 2010 suplantado a Argélia, onde a Teixeira Duarte registou uma queda de 28,2 por cento do volume de negócios.

Dos nove mercados principais onde o grupo português opera, seis apresentaram descida das receitas, sendo de salientar o de Marrocos, onde o volume de negócios do grupo caiu 51,2 por cento.

Portugal, com um crescimento de 10,7 por cento, o Brasil, com aumento de 108 por cento, e a Venezuela, com alta de 27,9 por cento, foram os países que permitiram à Teixeira Duarte encerrar 2010 com um volume de negócios globalmente superior ao de 2009.

No total do grupo a facturação aumentou 4,5 por cento, para 1,38 mil milhões de euros.

Por sectores de operação, a Teixeira Duarte cresceu na construção (que vale 55 por cento da receita do grupo), concessões, imobiliário, distribuição e energia, mas perdeu volume de negócios nas áreas de hotelaria, automóvel e cimentos.

O lucro da Teixeira Duarte em 2010 caiu 60,1 por cento, para 46,4 milhões de euros, tendo um agravamento do resultado financeiro, contribuído, entre outros factores, para a queda do resultado líquido do grupo.

Embora a saída do capital da Cimpor no ano passado tenha produzido um efeito positivo nas contas da Teixeira Duarte, o grupo sentiu, nos resultados de 2010, o efeito negativo das perdas por imparidade da sua participação no Millennium bcp, o maior banco privado português. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH