Agências de notação financeira continuam a baixar notas de risco de Portugal e de bancos e empresas portuguesas

6 April 2011

Lisboa, Portugal, 7 Abr – A agência de notação financeira Moody´s desceu quarta-feira a nota (“rating”) de risco de crédito de longo prazo e de depósito de sete bancos portugueses, na sequência do corte anunciado terça-feira por esta agência à nota da dívida soberana portuguesa.

Os bancos abrangidos pela descida da nota da dívida de longo prazo são o estatal Caixa Geral de Depósitos, Millennium bcp, Banco Espírito Santo, Banco BPI, Santander Totta, Montepio Geral e o Banco Português de Negócios (BPN), devido ao enfraquecimento do seu perfil de crédito.

A perspectiva é negativa ou de revisão em baixa para seis bancos, excepto no caso do BPN, que se mantém em análise.

O enfraquecimento da força financeira autónoma destas instituições é uma das razões avançadas, bem como a menor capacidade financeira do Estado, que a Moody´s diz que aumenta a probabilidade de no futuro o Governo limitar o seu apoio à banca.

Na terça-feira, a agência de notação financeira Fitch baixou as notas de risco da banca nacional na sequência do corte da nota de Portugal, na sexta-feira passada.

A Fitch colocou os “ratings” do Montepio Geral, do Finibanco e do Banif para um nível considerado junk (“lixo”), ou seja, sem estatuto de investimento, enquanto as notas do BCP, do BPI e da Caixa Geral de Depósitos viram os seus ratings descer para BBB-, para igualar a nota da República.

Por outro lado, a Moody’s desceu o “rating” da Parpública, da Rede Ferroviária Nacional (Refer), da RádioTelevisão Portuguesa (RTP) e da Caminhos de Ferro de Portugal (CP), todos ao nível “lixo”, reflectindo a descida do “rating” do Estado português. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH