Portuguesa Galp Energia pretende duplicar produção de petróleo em Angola até 2017

7 April 2011

Kleimond, África do Sul, 8 Abr – A petrolífera portuguesa Galp Energia pretende mais do que duplicar a sua produção de petróleo em Angola para 40 mil barris por dia até 2017, disse em Kleimond, África do Sul, o director-geral da Galp em Angola, Renato Azevedo.

Em declarações à agência financeira Reuters à margem de uma encontro sobre petróleo e gás natural, Azevedo adiantou que “se tudo tudo correr bem e o desenvolvimento de todos os projectos que temos nos oleodutos for realizado a tempo, estimamos que entre 2017 e 2018 a Galp esteja a produzir 40 mil barris por dia”, revelou Renato Azevedo, director-geral da Galp em Angola, à Reuters.

A petrolífera nacional tem investido muito em projectos em Angola, principalmente em Tômbua-Lândana, um campo petrolífero localizado no Bloco 14 do mar angolano.

Esta previsão vai ao encontro das expectativas dos responsáveis da Galp, que apontam para que até 2020 a empresa esteja a produzir 200 mil barris por dia, ou seja, dez vezes mais do que a produção registada em 2010.

Além do Bloco 14, Renato Azevedo declarou que a Galp Energia também está interessada em desenvolver projectos no Bloco Lianzi, assim como no Bloco 32, onde opera a Total.

“Estamos activamente à procura de novas oportunidades em Angola. Pretendemos aumentar o nosso portfólio e tornarmo-nos até um operador ‘upstream’ no país quando a oportunidade chegar”, disse Azevedo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH