Governo da província de Sofala, Moçambique, exige que a Companhia do Búzi construa a nova fábrica de açúcar

20 April 2011

Maputo, Moçambique, 21 Abr – O governo da província de Sofala exigiu à direcção da Companhia do Búzi que cumpra com os prazos previamente acordados no calendário referente à construção da nova fábrica de açúcar, cujo arranque está previsto para Julho do próximo ano, de acordo com o diário Notícias, de Maputo.

A advertência do governo provincial surge em reacção ao aparente abandono da fábrica de álcool por parte da Companhia do Búzi, numa altura em que o Conselho de Administração da empresa afirma existirem garantias do banco português BPI para a concessão de um empréstimo de 120 milhões de dólares necessários para o novo empreendimento industrial.

Actualmente, ainda de acordo com o representante da Companhia do Búzi, decorrem trabalhos de plantação do canavial, numa área de 300 hectares, havendo um objectivo de expansão para até 400 hectares ao longo do presente 2011.

A cana que sai do actual espaço de plantação é fornecida à Companhia Açucareira de Moçambique, em Mafambisse, distrito do Dondo, em Sofala.

Em contrapartida, a Companhia Açucareira de Moçambique – Mafambisse fornece melaço ao Búzi que serve para a produção de álcool que é fornecido ao Ministério da Saúde para uso hospitalar.

A Companhia do Búzi devia produzir 10 mil litros/dia de álcool mas, devido ao estado obsoleto da fábrica, apenas consegue produzir cinco mil litros/dia.

A Açucareira do Buzi é uma das seis fábricas de açúcar que existiam no país durante o período colonial e, com a sua reactivação, subirá para cinco o número de unidades do sector faltando agora novos investidores para a Açucareira de Luabo, na província da Zambézia.

Actualmente, Moçambique é servido por quatro unidades fabris, Maragra e Xinavane, no sul, Mafambisse e Marromeu, na região centro, contribuindo para uma produção média anual de cerca de 250 mil a 300 mil toneladas de açúcar. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH