Vale do Brasil pretende investir mais 4 mil milhões de dólares em Moçambique

8 May 2011

Moatize, Moçambique, 9 Mai – A Vale pretende investir mais 4 mil milhões de dólares em Moçambique, particularmente em actividades relacionadas com a produção e exportação de carvão, afirmou em Moatize o presidente do grupo mineiro brasileiro Roger Agnelli.

Citado pelo diário Notícias, de Maputo, Agnelli, que deixa a presidência executiva da Vale ainda este mês, disse que aquele montante inclui a construção da segunda fase do projecto, que vai permitir a expansão da capacidade de produção de 11 milhões de toneladas para 22 milhões de toneladas por ano.

Inclui ainda a construção da linha de caminho-de-ferro de Nacala e a realização de obras de beneficiação do porto local, uma alternativa para o escoamento do carvão cujas obras, se prevê, fiquem concluídas em 2014.

“Neste momento a nossa grande limitação não é a capacidade de produção das nossas minas mas a capacidade de carga da linha de Sena que só nos permite, por enquanto, exportar até quatro milhões de toneladas por ano. Mas esperamos até ao próximo ano essa capacidade se eleve para pelo menos seis milhões de toneladas”, disse Roger Agnelli.

O presidente executivo da Vale deixou claro, de acordo com o Notícias, que os quatro mil milhões de dólares não incluem outros projectos detidos pela Vale, como por exemplo, a produção de fertilizantes, a construção da central térmica e a produção de biodiesel.

Com todos os investimentos programados para o desenvolvimento do projecto de carvão, as oportunidades de emprego deverão subir dos actuais oito mil para cerca de 15 mil postos de trabalho, pelo menos nos próximos cinco anos.

A Vale encontra-se em Moçambique desde 2004 e detém uma das maiores reservas de carvão do mundo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH