Estudantes de Moçambique recebem formação em geologia e petróleo na Malásia

24 May 2011

Maputo, Moçambique, 25 Mai – Dezanove estudantes moçambicanos seguiram para a Malásia, onde irão frequentar cursos de formação nos sectores de Geologia Mineira e Petróleo, informou o diário Notícias, de Maputo, citando o presidente do Instituto Nacional de Petróleos (INP).

Arsénio Mabote, presidente do INP, disse não ser esta a primeira vez que Moçambique envia estudantes para a Malásia, tendo apontado que, por exemplo, no ano passado um outro grupo de dez alunos foi enviado para aquele país.

“O nosso objectivo não é só formar quadros para o Estado, uma vez que queremos também garantir que o país disponha de técnicos qualificados para alimentar a indústria petrolífera nacional”, sublinhou.

Em Moçambique as actividades de prospecção e pesquisa de hidrocarbonetos concentram-se mais nas bacias sedimentares de Moçambique e do Rovuma.

Em finais de 2009 uma intensa actividade de pesquisa na bacia do Rovuma, que se estendeu até 2010, resultou na realização de seis furos, tendo sido descoberto gás natural em quatro.

Num terceiro furo, denominado Ironclad, teria sido descoberto petróleo associado ao gás, depois de no segundo furo, designado Windjammer, aberto em Fevereiro do ano passado, a multinacional norte-americana Anadarko ter anunciado a descoberta de gás no mar, a uma profundidade de 3600 metros.

Além da Anadarko, existem mais três empresas a fazer pesquisa e prospecção de hidrocarbonetos na bacia do Rovuma – a ENI (Itália), Petronas (Malásia) e a Statoil (Noruega). (macauhub)

MACAUHUB FRENCH