Dragagem parcial do rio Zambeze, em Moçambique, irá custar 100 milhões de dólares

26 May 2011

Beira, Moçambique, 27 Mai – A dragagem do rio Zambeze para permitir o transporte de carvão mineral extraído em Tete irá custar cerca de 100 milhões de dólares, disse um quadro da empresa Riversdale Moçambique ao jornal Diário de Moçambique, da Beira.

Ivo Lourenço, analista de desenvolvimento comunitário da subsidiária do grupo mineiro australiano Riversdale Mining, adiantou que será necessário dragar o rio em diversos locais numa extensão de 180 quilómetros para assegurar que o canal de navegação seja suficientemente largo e profundo, a fim de permitir que o transporte de carvão em barcaças possa vir a realizar-se.

A Riversdale Moçambique, que pretende transportar o carvão de Benga, em Tete, pelo rio Zambeze, dada a diminuta capacidade da linha de caminho-de-ferro do Sena, encomendou um estudo de impacto ambiental, que ainda terá de ser submetido à apreciação do Ministério para a Coordenação da Acção Ambiental.

Um documento recentemente apresentado pela empresa na cidade da Beira refere que o canal ideal para a navegabilidade do Zambeze é quando o seu caudal mais baixo tiver uma profundidade mínima de 3 a 3,5 metros, baseando-se estas dimensões em normas internacionais para o movimento de comboios de barcaças fluviais e barcos rebocadores.

A dragagem também será necessária ao longo do banco de areia que se encontra na entrada para o estuário de Chinde, de forma a manter uma profundidade adequada para a operação de saída das barcaças para os locais de transbordo que vai se localizar no mar. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH