Comércio entre o Brasil e a China deverá crescer este ano 30 a 40%

19 June 2011

Rio de Janeiro, Brasil, 20 Jun – O comércio entre o Brasil e a China deverá este ano crescer 30 a 40%, podendo mesmo atingir 50%, afirmou o presidente da Câmara Brasil-China de Desenvolvimento Económico, Tang Wei, que na sexta-feira participou num encontro com empresários brasileiros no Rio de Janeiro.

“De 1990 a 2000, o comércio bilateral médio anual situou-se em 1 500 milhões de dólares, mas em 2009 foram já 40 mil milhões de dólares e no ano passado atingimos 62 mil milhões de dólares, pelo que este ano o crescimento mínimo deverá oscilar entre 30 e 40%, não sendo no entanto surpresa se chegar a 50%, como no ano passado”, afirmou Wei, citando números do governo chinês.

Segundo dados oficiais do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil, o comércio Brasil-China fechou 2010 em 56,3 mil milhões de dólares, um crescimento real de 20 mil milhões de dólares relativamente ao número de 2009.

No ano passado, o Brasil obteve um saldo positivo de 5,1 mil milhões de dólares, mas cerca de 68% das exportações brasileiras estão concentradas em minério de ferro e soja. Já os chineses exportam para o Brasil principalmente produtos de mais elevado valor acrescentado, sendo 30% de produtos eléctricos e electrónicos, especialmente componentes de informática e telefonia.

Além dos sectores brasileiros que tradicionalmente recebem atenção chinesa, como minério de ferro e produtos agrícolas, Wei disse que há tendência de forte expansão de investimentos nas áreas de energia e de máquinas e equipamentos para a indústria.

O presidente da câmara de comércio afirmou que a relação entre os dois países está a atingir uma nova fase, com a instalação de grandes empresas chinesas no Brasil, incluindo as de alta tecnologia e do sector automóvel. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH