Moçambique tem condições para crescer mais a médio prazo

26 June 2011

Maputo, Moçambique, 27 Jun – Moçambique está bem preparado para crescer mais a médio prazo em consequência do aumento da produção dos recursos naturais e do investimento público em infra-estruturas, de acordo com a directora-geral adjunta e presidente interina da administração do Fundo Monetário Internacional.

Falando após a conclusão das discussões que na passada semana culminaram com a aprovação do segundo acordo trienal com Moçambique, ao abrigo do Instrumento de Apoio à Política Económica do Governo (PSI), Nemat Shafik, citada pelo diário Notícias, de Maputo, disse que a prioridade chave da política macroeconómica no curto prazo deverá ser o combate à inflação.

A administração do FMI concluiu há dias a segunda avaliação do programa económico de Moçambique, ao abrigo do PSI tendo, no final, concedido uma dispensa pelo não cumprimento do critério de avaliação quantitativo relativo à base monetária.

Na mesma altura, o Conselho aprovou o segundo acordo trienal com Moçambique ao abrigo do PSI.

O PSI foi concebido para países de baixo rendimento que talvez não necessitem – ou desejem – recorrer à assistência financeira do FMI mas, mesmo assim, tenham interesse em beneficiar dos serviços prestados pela instituição em matéria de aconselhamento, controlo e endosso das políticas.

Na ocasião, Nemat Shafik indicou que o desempenho económico e as perspectivas de Moçambique permanecem sólidos, tendo a economia, apoiada por políticas macroeconómicas correctas, demonstrado resistência à crise económica mundial. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH