Angola necessita de 17 mil milhões de dólares para investir na produção de energia eléctrica até 2016

29 June 2011

Luanda, Angola, 30 Jun – A construção de novas infra-estruturas de energia eléctrica em Angola até ao ano de 2016 vai exigir pelo menos 17 mil milhões de dólares, afirmou em Luanda o administrador da Empresa Nacional de Electricidade (ENE), Joaquim Ventura, citado pelo estatal Jornal de Angola.

No decurso do Fórum de Investimentos em Angola, realizado no âmbito da Assembleia Geral de accionistas do Banco de Exportações e Importações de África (Afreximbank), Ventura esclareceu que o valor engloba a construção de centros de produção, transporte e rede de distribuição eléctrica a todo o país, tendo em atenção que a capacidade de produção actual é insuficiente para responder à procura de energia eléctrica.

“A maior parte das redes de distribuição em Angola é antiga, daí termos uma fraca qualidade no serviço. A maioria das redes foi construída antes da independência e o país possui actualmente uma taxa de electrificação muito baixa”, disse Joaquim Ventura, para acrescentar que Luanda representa 88% do consumo de energia eléctrica no país.

O Jornal de Angola adianta que até 2016 deverão estar a funcionar fontes geradoras de energia eléctrica com uma capacidade de produção de 7 mil megawatts, tanto em aproveitamentos hidroeléctricos como em centrais térmicas, além do que deverão ser efectuadas mais de 2 milhões de ligações domiciliárias.

No decurso da sua intervenção, Joaquim Ventura mencionou a existência de projectos nas zonas rurais que aguardam a participação dos privados, nomeadamente um com base na energia solar na província do Namibe, que terá uma potência instalada de 200 megawatts e que se destina a abastecer, em combinação com outras fontes de produção de energia eléctrica, a região sul do país. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH