Crise da dívida pública em Portugal impediu libertação de linha de crédito acordada com Moçambique

26 July 2011

Maputo, Moçambique, 27 Jul – A crise da dívida pública em Portugal está a comprometer a libertação dos 300 milhões de euros de uma linha de crédito para os investimentos portugueses em Moçambique, noticiou a rádio Voz da América (VoA).

Trata-se de uma linha de crédito cujo acordo foi assinado em Junho de 2009 entre os governos de Moçambique e de Portugal, com o objectivo de apoiar investimentos nas áreas da energia, transportes e comunicações, saúde, educação e formação de capital humano.

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Paulo Portas, afirmou durante a sua recente visita a Maputo que a libertação do crédito, com dois anos de atraso, vai ter esperar por “uma melhor oportunidade”, atendendo ao facto de que o governo português está “amarrado ao acordo assinado com a troika”.

Esta situação deverá colocar em causa a viabilização de alguns dos grandes projectos anunciados pelo anterior primeiro-ministro José Sócrates, no decurso da sua visita oficial a Moçambique em Março de 2010, no sector de infra-estruturas ao nível nacional e cuja execução conta com a libertação do fundo.

O ponto mais alto dessa visita foi a assinatura do acordo para a constituição do Banco Nacional de Investimento, uma instituição financeira luso-moçambicana com um capital social de 500 milhões de dólares, e que, segundo as previsões iniciais, já devia estar em operação. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH