Grupo estatal financeiro português Caixa Geral de Depósitos vai garantir linha de crédito para Moçambique

27 July 2011

Maputo, Moçambique 28 Jul – O grupo estatal financeiro português Caixa Geral de Depósitos (CGD) vai garantir os 300 milhões de euros para a realização de investimentos rodoviários em Moçambique, disse o presidente do Fundo de Estradas de Moçambique, Elias Paulo.

Em declarações à agência noticiosa portuguesa Lusa, Elias Paulo disse ter sido informado pela Caixa Geral de Depósitos que os 300 milhões de euros da linha de crédito prometida pelo anterior governo de Portugal estão garantidos.

O acordo celebrado, em Junho de 2009, pelo anterior governo português com o governo de Moçambique, para investimentos na área de infra-estruturas rodoviárias, estava a preocupar as autoridades moçambicanas, dada a crise financeira que se vive em Portugal.

Estas obras tinham já sido adjudicadas, estando alguns troços rodoviários a cargo das empresas portuguesas de construção civil Mota/Engil e Soares da Costa.

“Assim que efectuarmos o pagamento correspondente à comissão da montagem de linha de crédito, a CGD vai avançar com as verbas”, afirmou o presidente do Fundo de Estradas.

Este pagamento deverá acontecer entre o “final deste mês, início do mês de Agosto”, apontou Elias Paulo como prazo máximo.

Na última visita oficial do ex-primeiro-ministro José Sócrates a Moçambique, em Março de 2010, foi celebrado um memorando para aumentar a linha de crédito de 200 milhões para 400 milhões de euros, a qual está em execução, e que até já incluiu a construção da aldeia olímpica para os Jogos Africanos de Setembro.

Outro acordo anunciado foi a criação do Banco Nacional de Investimento (BNI), com um capital de 500 milhões de dólares, para angariar investimentos em Moçambique, valor a repartir entre a CGD, o Tesouro moçambicano, com um por cento pelo Banco Comercial de Investimentos (BCI), do grupo CGD. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH