Défice da balança corrente de Cabo Verde teve um agravamento de 23% no 2º trimestre do ano

15 August 2011

Praia, Cabo Verde, 16 Ago – O défice da balança corrente de Cabo Verde aumentou 23% em termos homólogos no segundo trimestre de 2011 ao atingir 7666 milhões de escudos cabo-verdianos (97 milhões de dólares), informou o Banco de Cabo Verde.

No primeiro trimestre o défice da balança corrente do país foi de 4380,2 milhões de escudos cabo-verdianos, dando origem a um agravamento de 75% relativamente ao valor apurado para o segundo trimestre.

A balança corrente de um país é um agregado económico que representa o somatório do comércio de mercadorias (balança comercial), de gastos de turistas, transportes e seguros (balança de serviços), de juros e dividendos internacionais e ganhos das empresas de propriedade nacional que operam no estrangeiro (balança de rendimentos) e de transferências unilaterais.

De acordo com os dados do Banco de Cabo Verde, o financiamento da economia no período foi efectuado principalmente através do endividamento público (58%), devido ao fraco desempenho do investimento directo estrangeiro.

Para o comportamento da balança corrente, concorreram o agravamento das balanças de bens e a redução do excedente das transferências correntes.

Os dados do banco central indicam também que o défice comercial de mercadorias aumentou 17,6% em termos homólogos, devido sobretudo à evolução das importações.

A balança de serviços foi a componente mais dinâmica da balança corrente, registando no segundo trimestre um saldo líquido de 5112 milhões de escudos cabo-verdianos (CVE), cerca de 451 milhões de CVE a mais do que verificado em igual período de 2010.

Para o crescimento da balança de serviços contribuíram, principalmente, o aumento em 13,9% das receitas brutas de turismo.

As remessas de emigrantes cresceram 36,4% em termos homólogos no segundo trimestre, acentuando o perfil ascendente que vêm registando desde o segundo semestre de 2010. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH