Receitas em dividendos do Estado moçambicano caíram 74 milhões de meticais em 2010

15 August 2011

Maputo, Moçambique, 16 Ago – As receitas geradas pelas empresas participadas pelo Estado moçambicano passaram de 178 milhões de meticais (6,6 milhões de dólares) em 2009 para 104,5 milhões de meticais em 2010, uma quebra de 41,3%, de acordo com o Relatório e Contas do Instituto de Gestão das Participações do Estado.

Citado pelo jornal moçambicano O País, o relatório, segunda-feira divulgado em Maputo, avança com duas razões para a quebra de 74 milhões de meticais nas receitas do Estado, a redução e a não-distribuição de dividendos por parte de algumas das maiores empresas de Moçambique.

A Mozal, Moçambique Celular (mCel), Silos e Terminal Graneleiro da Matola (Stema) e Central Impressora e Editora de Maputo (Ciedima) foram as empresas que não entregaram nenhuma parcela dos seus ganhos ao Estado, sendo que a primeira tem vindo a falhar desde 2009.

A Mozal argumenta que, quando a crise rebentou em 2008, viu-se forçada a recorrer a empréstimos dos accionistas e que, neste momento, decorre o processo de reembolso, pelo que só depois de devolver todo o dinheiro em dívida é que começará a distribuir dividendos aos accionistas.

A fundação de alumínio Mozal era um dos maiores contribuintes nas receitas do Estado, na mesma lista com a mCel que, em 2009, entregou ao Estado quase 30 milhões de meticais. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH