Nações Unidas estão a ajudar Cabo Verde a combater peste suína

16 August 2011

Praia, Cabo Verde, 17 Ago – A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) em Cabo Verde disponibilizou 300 mil euros para um projecto de assistência urgente para o controlo de epizootia da peste suína africana no arquipélago, informou a instituição.

Fonte da FAO disse terça-feira à agência noticiosa portuguesa Lusa que o projecto terá a duração de 12 meses e que incidirá sobretudo na ilha do Fogo, onde a epidemia foi confirmada em Maio deste ano e que, de acordo com estimativas da Direcção Geral da Agricultura, Silvicultura e Pecuária (DGASP) cabo-verdiana, já causou a morte de mais de 2500 porcos.

O projecto, acrescentou a fonte, surgiu na sequência de uma solicitação do governo de Cabo Verde, através do Ministério do Desenvolvimento Rural, sendo objectivo geral contribuir para a salvaguarda da segurança alimentar em Cabo Verde, tendo como pano de fundo a erradicação da epidemia em Cabo Verde.

Em Junho último, Afonso Semedo, coordenador da DGASP, admitiu que, além do Fogo, de onde foi proibida a saída de suínos e derivados, há casos de mortes de porcos nas ilhas de Santiago e do Maio, embora não tenha sido possível confirmar se se trata da mesma doença.

As primeiras mortes dos suínos ocorreram em Fevereiro deste ano, mas só a 17 de Maio, após análises iniciais, foi confirmado o surto de peste suína africana, com o governo a decretar, através de uma portaria, datada de 30 de Maio, o embargo à carne de porco e respectivos derivados a partir daquela ilha. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH