Moçambique quer tecnologia do Brasil para desenvolver agricultura

22 September 2011

Maputo, Moçambique, 23 Set – O ministro moçambicano da agricultura, José Pacheco, reafirmou que o único interesse que o Brasil possui em relação às terras de Moçambique é o de vender a sua tecnologia na área da agricultura, nomeadamente equipamentos e “know-how”.

José Pacheco disse à macauhub em Maputo estar certo que existem homens de negócios brasileiros interessados em investir na agro-indústria no norte de Moçambique.

O ministro voltou a assegurar que “em Moçambique a terra não está à venda, a terra é do Estado” pondo assim termo às especulações geradas com notícias da imprensa brasileira segundo as quais Moçambique iria vender a agricultores brasileiros seis milhões de hectares de terras.

O governo moçambicano mostrou recentemente disponibilidade de arrendar terras a interessados, independentemente da sua nacionalidade, em desenvolver a agricultura.

Moçambique, Brasil e o Japão estão a desenvolver desde 2009 um programa para o desenvolvimento do Corredor de Nacala, na província de Nampula, norte de Moçambique, o qual tem a designação Pro-Savana e até ao momento já foram aplicados 23 milhões de dólares em estudos.

O ministro disse ainda que com a entrada de novas tecnologias e conhecimentos de especialistas estrangeiros pretende-se transformar o tipo de agricultura de subsistência em agricultura comercial.

“Pretendemos aumentar não só a produção agrícola mas também diversificar as actividades nomeadamente nas áreas da pecuária, avicultura e a piscicultura” disse. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH