Atrasos no desembolso dos apoios internacionais a Moçambique estão a condicionar programa de reparação de estradas

28 September 2011

Maputo, Moçambique, 29 Set – Os atrasos que ainda se verificam nos desembolsos de fundos para projectos de estradas em Moçambique estão a condicionar a realização das empreitadas e a entrega das obras no calendário previsto, disse o vice-ministro das Obras Públicas e Habitação, Francisco Pereira.

No decurso de uma reunião bianual do sector das estradas, Francisco Pereira adiantou que tais atrasos impõem a necessidade de as autoridades planificarem de forma realista a execução dos projectos, de acordo com o diário Notícias, de Maputo.

É que, disse o vice-ministro, a escassez de recursos e os atrasos nos desembolsos dos parceiros da cooperação estão a fazer com que os projectos de reparação de estradas compreendam actualmente a execução de projectos transitados de 2010 e a mobilização de empreiteiros para o início da execução de programas previstos para 2011.

Uma outra contrariedade apontada está relacionada com o aumento dos preços dos materiais de construção que, segundo Francisco Pereira, chegam a atingir cerca de um milhão de dólares por quilómetro, o que acresce mais dificuldades para um país que investe com base em financiamento externo.

Assim, prosseguiu Francisco Pereira, é imperioso encontrar soluções tecnológicas alternativas de baixo custo para desenvolver os projectos numa altura em que as atenções estão viradas para a melhoria do acesso aos distritos e às ligações inter-distritais visando o aumento da mobilidade de pessoas e bens para o aumento da produção e da produtividade agrícolas.

No entanto, salientou ter sido lançada recentemente a primeira pedra da estrada Marrupa/Ruaça, parte de uma via que vai ligar Montepuez e Lichinga, dentro de dias deverão iniciar-se as obras do troço Nampula/Cuamba, para além dos estudos para viabilizar a construção do troço Cuamba/Mandimba/Lichinga, entre outros projectos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH