Orçamento Geral do Estado de Angola para 2012 sem défice

18 October 2011

Luanda, Angola, 19 Out – O Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2012 de Angola prevê receitas de 3,5 biliões de kwanzas e despesas de igual montante não havendo, por isso, lugar a défice orçamental, afirmou terça-feira, em Luanda, o Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

Na abertura do ano legislativo, quando falava sobre o Estado da Nação na Assembleia Nacional, Eduardo dos Santos adiantou que o OGE assenta num cenário macro-económico que contempla uma taxa de crescimento real do Produto Interno Bruto de 12%, sendo 13,4% do sector petrolífero e 12,5% do sector não-petrolífero e uma taxa de inflação de 10%.

O Presidente angolano disse ainda que a dívida pública global continua dentro dos coeficientes de segurança internacionalmente aceites, quer quanto ao seu volume e custos, quer no tocante ao seu perfil de vencimentos.

Segundo José Eduardo dos Santos, o baixo custo do endividamento externo, combinado com a recuperação dos preços de exportação do petróleo, reflectiu-se na melhoria do saldo da balança correntes, que evoluiu de um défice de 7 572 milhões de dólares em 2009 para um défice de apenas 348 milhões de dólares em 2010.

Citado pela agência noticiosa angolana Angop, Eduardo dos Santos salientou que Angola continua a receber da comunidade internacional o reconhecimento da sua crescente solidez macroeconómica, certificada nos relatórios emitidos em 2010 pelo Fundo Monetário Internacional e pelas três principais agências internacionais de classificação do risco de dívidas soberanas.

Relativamente ao ano em curso, disse que se estima um crescimento do Produto Interno Bruto na ordem de 3,7%, abaixo do previsto no Orçamento Geral do Estado, devido à redução da produção petrolífera pela empresa BP, por razões técnicas, que, no entanto, foi compensada em parte pelo aumento do preço médio anual do barril de petróleo bruto e por um crescimento mais acelerado do sector não-petrolífero. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH