Rio Lúrio, em Moçambique, poderá vir a ter aproveitamento hidroeléctrico

24 October 2011

Maputo, Moçambique, 25 Out – A Zona Económica Especial de Nacala vai necessitar de fontes alternativas à hidroeléctrica de Cahora Bassa para o fornecimento de energia eléctrica àquela região da província de Nampula, de acordo com o delegado do Gazeda em Nampula.

Branquinho Nhombe, delegado do Gabinete das Zonas de Desenvolvimento Acelerado (Gazeda), disse que aquela zona vai precisar de uma quantidade considerável de energia eléctrica, face ao número de empreendimentos a implantarem-se na zona, a maior parte concebidos para laborar com recurso a energia eléctrica.

O delegado adiantou que estudos preliminares apontam o rio Lúrio como aquele que dispõe de potencial para implantação de um empreendimento hidroeléctrico deixando a ZEE de ficar dependente da energia produzida em Cahora Bassa.

Branquinho Nhombe salientou que a empresa Electricidade de Moçambique já está a trabalhar no projecto, tendo sido já concluído o estudo de impacto ambiental para a construção da referida barragem.

O jornal informou que o estudo, levado a cabo a partir de 2007, contemplava diversas variantes de optimização daquele rio, no processo de produção de energia eléctrica, algumas das quais passam pela construção de uma barragem para regular o fluxo do rio e para produzir 65 megawatts de energia eléctrica.

O rio Lúrio tem uma bacia estimada em 60 800 quilómetros quadrados e um fluxo médio anual de 227 metros cúbicos por segundo e, sendo o segundo maior rio moçambicano, percorre cerca de 500 quilómetros, desde a sua nascente na província de Nampula, até à costa noroeste, onde desagua. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH