Governo português aprovou venda de participação estatal na EDP – Energias de Portugal

3 November 2011

Lisboa, Portugal, 4 Nov – O governo português aprovou quinta-feira a venda directa da participação de 21,35% que ainda detém na EDP – Energias de Portugal e o respectivo caderno de encargos, de acordo com o comunicado do Conselho de Ministros.

No caderno de encargos, adiantou o comunicado, são estabelecidos “os termos e condições específicos a que obedece a venda directa, bem como o processo a adoptar para a alienação de acções no âmbito de cada operação que concretize a referida venda directa”.

No decreto-lei da 8ª fase de privatização da EDP, publicado em Diário da República na semana passada, é indicado que poderão ser feitas mais do que uma operação de venda directa “a um ou mais investidores” do total de 780 633 782 acções nominativas.

A Parpública – Participações Públicas já informou ter recebido seis manifestações de interesse na venda da participação detida pelo Estado na EDP, entre as quais se incluem as brasileiras Eletrobras e Cemig, a alemã E.On, a chinesa Three Gorges Corporation e uma empresa japonesa.

Entretanto, o jornal Diário Económico noticiou que o governo português pretende obter um encaixe mínimo de 2,2 mil milhões de euros com a venda desta participação, sendo aquele o valor mínimo a partir do qual o governo está disposto a negociar com os candidatos que vierem a fazer parte da “short list”. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH