OCDE afirmou que desempenho económico de Portugal até 2013 vai ser pior do que o previsto

28 November 2011

Paris, França, 29 Nov – A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económicos (OCDE) informou segunda-feira que a economia de Portugal deverá contrair-se 3,2% em 2012 e que a taxa de desemprego irá subir mais do que o previsto e atingir 13,8% da população activa.

De acordo com o Economic Outlook, o relatório sobre perspectivas económicas segunda-feira divulgado em Paris, quer a taxa de crescimento da economia quer a de desemprego são piores do que as antecipadas tanto pelo governo português como pela “troika”, sendo que no caso da primeira a previsão é de uma contracção de 3%.

No que se refere à taxa de desemprego, enquanto a OCDE prevê para 2012 que se situe em 13,8%, o governo português prevê 13,4% e a Comissão Europeia 13,6%.

Do mesmo modo, em 2013, a OCDE prevê que o desemprego volte a aumentar, para um máximo histórico de 14,2%, enquanto Bruxelas admite uma subida ligeira para os 13,7% e o governo português antecipa que, dentro de dois anos, a taxa de desemprego já esteja a descer, fixando-se em 13%.

Na proposta do Orçamento do Estado para 2012, o governo previu uma contracção económica de 2,8% em 2012, mas, recentemente, o ministro das Finanças, Vítor Gaspar, veio já admitir que a recessão deverá ser pior do que o esperado, alinhando as suas previsões com as da Comissão Europeia, que aponta para um recuo do PIB de 3%.

Agora, é a vez de a OCDE apresentar uma previsão ainda pior, na sequência das sucessivas revisões em baixa das perspectivas de crescimento da zona euro, onde se concentra a grande maioria das exportações portuguesas.

A OCDE está também mais pessimista do que o Governo e a “troika” quanto à recuperação da economia portuguesa depois de 2012, prevendo que o PIB português deverá crescer apenas 0,5% em 2013, enquanto a Comissão Europeia antecipa 1,1% e o governo português 1,2%.

A correspondência nas previsões existe apenas nas metas do défice orçamental em percentagem do PIB, de 5,9% este ano, 4,5% em 2012 e de 3% em 2013, já dentro dos limites do Pacto de Estabilidade e Crescimento. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH