Privatização dos Transportes Aéreos de Cabo Verde sem interessados

29 November 2011

Praia, Cabo Verde, 30 Nov – A ministra cabo-verdiana das Finanças, Cristina Duarte, reconheceu terça-feira que o governo tem tido dificuldades em encontrar um parceiro externo para a privatização da transportadora aérea (TACV), situação que existe há cerca de dois anos.

Cristina Duarte disse ainda que o governo deverá fazer todos os esforços para a reestruturação da empresa em 2012, mas que “o processo não tem sido fácil”.

A ministra comentava um relatório de avaliação da missão do FMI (Fundo Monetário Internacional), que deixou algumas recomendações ao governo cabo-verdiano, nomeadamente a de que seja intensificado o ritmo de reestruturação das empresas públicas deficitárias.

No final de uma missão de 15 dias no arquipélago, o relatório preparado pelos técnicos do FMI recomenda a necessidade de se criar espaço suficiente para o crescimento do crédito privado e a redução do rácio dívida pública externa/PIB para um nível inferior a 50%.

O FMI considerou que o Orçamento Geral do Estado “está a ser executado de acordo com o programa alargado de despesas públicas com infra-estruturas, essencialmente financiado com créditos externos altamente bonificados” e defende que “a paridade da moeda continua a actuar como uma adequada âncora monetária”.

Segundo o relatório, “a contenção, por parte do governo, da sua política orçamental e monetária, no final de 2011, ajudaram a conter a perda de reservas, embora os défices corrente externo e da conta financeira se tenham alargado de maneira significativa em relação ao ano passado”. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH