Instituto de Cereais de Moçambique vai adquirir 60 mil toneladas de excedentes agrícolas em 2012

18 December 2011

Maputo, Moçambique, 19 Dez – O Instituto de Cereais de Moçambique (ICM) prevê adquirir, em 2012, um total de 60 mil toneladas de excedentes agrícolas nas províncias de Niassa, Cabo Delgado, Zambézia, Tete e Sofala, afirmou o ministro da Indústria e Comércio, Armando Inroga.

Citado pelo diário Notícias, de Maputo, o ministro disse que entre os produtos a serem comprados pelo ICM destacam-se milho, feijões e amendoim, sendo que parte destes bens alimentares se destina à indústria nacional de agro-processamento, incluindo a produção de ração animal.

Como consequência da conclusão da construção de três silos em Gorongosa e igual número em Nhamatanda, com capacidade para seis mil toneladas e a reparação de dois armazéns, estão criadas as condições para a conservação de cerca de 10 mil toneladas de cereais naqueles dois distritos da província de Sofala, com grande potencial para a produção de milho.

O ministro Armando Inroga adiantou que para a materialização do objectivo de compra de 60 mil toneladas de produtos agrícolas o governo irá apostar em parcerias com o sector privado na promoção de feiras agropecuárias, bem como na operacionalização da bolsa de produtos alimentares.

Ao abrigo de um memorando de entendimento, as parcerias do ICM com o sector privado asseguraram a aquisição de 143,5 mil toneladas de milho nas províncias de Tete, Manica, Sofala, Zambézia, Nampula e Cabo Delgado.

Um dos problemas da agricultura moçambicana tem a ver com as dificuldades na circulação de excedentes devido à incapacidade financeira do ICM para cobrir todo o país, bem como a quase não participação do sector privado na comercialização. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH