Grupo português Galp Energia vai liderar projecto científico em Moçambique

5 February 2012

Lisboa, Portugal, 6 Fev – O grupo português Galp Energia vai liderar um projecto para a produção de biocombustíveis de segunda geração a partir de óleo de pinhão-bravo cultivado em Moçambique, noticiou a imprensa portuguesa.

O projecto, orçado em 2 milhões de euros ,é co-financiado em 50% pelo Fundo de Apoio à Inovação da Agência para a Energia (Adene).

Para além da Galp e Adene, fazem parte do consórcio a Universidade de Évora, a Vicort, Domingos Reynolds de Sousa, o Instituto Superior de Agronomia e o Instituto Politécnico de Portalegre.

Ao abrigo deste projecto serão investigadas áreas que vão desde o melhoramento das plantas, passando pela sua colheita, extracção de óleo e aproveitamento dos subprodutos.

As plantações de pinhão-bravo da Galp Energia em Moçambique estão em franca expansão, prevendo-se que, até 2016, superem uma área plantada de 23 mil hectares, correspondentes a uma produção de óleo de 30 mil toneladas.

A Adene é uma instituição de tipo associativo de utilidade pública sem fins lucrativos, participada maioritariamente (69,66%) por instituições do Ministério da Economia e do Emprego, as empresas concessionárias dos serviços públicos de fornecimento de electricidade e gás (EDP – Energias de Portugal e Galp Energia) detêm 22% do capital social, estando os restantes 5,74% dispersos por diversas entidades públicas. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH