Grupo italiano ENI vai apoiar formação em hidrocarbonetos de licenciados de Moçambique

6 February 2012

Maputo, Moçambique, 7 Fev – Duzentos licenciados moçambicanos dos diversos ramos de engenharia e de química, física e matemática vão receber formação suplementar em áreas ligadas à exploração de hidrocarbonetos, foi segunda-feira anunciado em Maputo.

Numa iniciativa da Universidade Eduardo Mondlane (UEM) em parceria com o grupo italiano petroquímico ENI, os cursos, que terão a duração de doze a vinte e quatro meses, serão ministrados em Maputo e na Itália, de acordo com informação avançada pelos organizadores em comunicado citado pelo matutino Notícias, de Maputo.

Em finais do ano passado, o grupo ENI – Ente Nazionale Idrocarburi – anunciou a descoberta de reservas de gás natural estimadas em 15 mil milhões de pés cúbicos no único furo até então aberto, numa área localizada a cerca de 40 quilómetros da costa da província de Cabo Delgado.

Num comunicado divulgado na altura, o grupo admitia que com a descoberta estava aberto o caminho para a produção de gás natural para exportação e abastecimento do mercado nacional, regional e internacional através de projectos de liquefacção e outros de natureza industrial.

São concessionários da área 4 da bacia do Rovuma, cujo contrato de pesquisa e produção foi assinado em 2006, a ENI East Africa – Moçambique, que funciona como operador e detém uma participação de 70%, a estatal moçambicana Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH), com 10%, e os grupos português Galp Energia e sul-coreano Kogas, ambos com 10% cada.

A bacia do Rovuma cobre a área marinha e terrestre que se estende entre os distritos de Palma, em Cabo Delgado, e Memba, em Nampula. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH