Grupo anglo-australiano Rio Tinto vai apoiar geo-referenciação em Moçambique

18 March 2012

Um protocolo de cooperação relativo à colocação e manutenção de estações permanentes de GNSS (Global Navigation Satellite Systems) em Moçambique foi sexta-feira assinado entre a Rio Tinto Coal Mozambique e o Ministério da Agricultura, informou a subsidiária do grupo anglo-australiano Rio Tinto.

Estas estações permitem melhorar o sinal de GPS (Global Positioning System), permitindo, desta forma, uma maior eficácia e precisão na recolha de informação geo-referenciada no país.

Este protocolo tem por objectivo a definição das formas de cooperação técnica e científica na colocaão, utilização e manutenção de estações permanentes de satélite em Moçambique, ficando a gestão do protocolo a cargo do Centro Nacional de Cartografia e Teledetecção (Cenacarta).

A actual rede de GNSS em Moçambique é limitada, com quatro estações permanentes instaladas nas cidades de Maputo, Inhambane, Nampula e Pemba.

A Rio Tinto Coal Mozambique, tendo já uma estação a funcionar em Tete, passa esta semana a sua gestão para a Cenacarta, centrando-se a segunda fase de colocação na Beira, Quelimane e Lichinga que deverá estar concluída até ao final do ano, proporcionando a cobertura total do território moçambicano.

Esta iniciativa será fundamental para o aperfeiçoamento da recolha de dados geográficos para desenvolvimento de planos estruturados para o planeamento urbano, controlo de dragagem e requisitos volumétricos, entre outros. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH