Gazeda de Moçambique está a negociar três projectos de investimento de grandes dimensões

19 April 2012

O Gabinete das Zonas Económicas de Desenvolvimento Acelerado (Gazeda) de Moçambique está a negociar alguns projectos-âncora que serão capazes de atrair outros de menores dimensões, disse em Ulongué, na província de Tete, Danilo Nalá, director da instituição.

Citado pelo diário Notícias, de Maputo, Nalá disse estarem a ser negociados três grandes projectos que, em conjunto, representarão um investimento de 5 mil milhões de dólares, e que ficarão localizados na Zona Económica Especial (ZEE) de Nacala, na província de Nampula e no Parque Industrial de Beloluane, em Maputo.

Concretamente, um dos projectos centra-se no aproveitamentos dos fosfatos em Monapo para uma fábrica de adubos em Nacala-a-Velha, um segundo destina-se ao aproveitamento e transformação das areias pesadas de Angoche, em Nacala, enquanto que o terceiro, a ficar no Parque Industrial de Beloluane terá como objecto o aproveitamento do alumínio da fundição Mozal para o fabrico de cabos eléctricos, jantes para viaturas e outros produtos à base de alumínio.

O Gazeda é uma instituição sob tutela do ministro da Planificação e Desenvolvimento, tendo a sua sede em Maputo e uma delegação na Zona Económica Especial (ZEE) de Nacala, esta última na província de Nampula e tem sob a sua gestão as Zonas Económicas Especiais (ZEE) e as Zonas Francas Industriais (ZFI), incluindo as empresas que estão em regime de zona franca industrial.

Segundo o director do Gazeda, existem actualmente em Moçambique diversas empresas a funcionar em regime de ZFI, casos da fundição de alumínio Mozal, das areias pesadas de Moma, de empresas têxteis que existem em Maputo e algumas outras que estão em Nampula.

Desde a sua criação em Setembro de 2009, o Gazeda já aprovou mais de 350 milhões de dólares em projectos de investimento que cobrem, segundo Danilo Nalá, vários sectores desde a agricultura até à indústria. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH