Governo de Moçambique pretende aumentar para 40% participação nacional na exploração de hidrocarbonetos

26 April 2012

O governo de Moçambique quer aumentar dos actuais 25% para 40% a participação nacional nos futuros blocos de extracção de petróleo e de gás no norte do país, anunciou em Maputo o presidente da Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH).

“A ideia é aumentar até 40% [a participação nacional] em todos os futuros projectos, para melhorar o controlo estatal das companhias e trazer mais receitas para o país”, disse quarta-feira Nelson Ocuane, citado pela agência financeira Reuters.

No futuro, a ENH poderá optar por desenvolver blocos próprios, desde que tenha capacidade para o fazer, disse ainda o presidente da estatal.

Actualmente, a empresa pública detém uma participação de 25% numa exploração liderada pela sul-africana Sasol e de 10% em três blocos concessionados a consórcios liderados pela norte-americana Anadarko Petroleum, pela italiana ENI e pela norueguesa Statoil, todos na bacia do Rovuma, no norte de Moçambique.

O governo de Maputo anunciou que abrirá concursos até ao final do ano para a concessão de mais blocos naquela bacia, o que já despertou o interesse de companhias como ENI, Exxon Mobil, BP, Petronas da Malásia, Royal Dutch Shell, Tullow Oil da Irlanda, Vitol da Suíça e Noble Energy, dos Estados Unidos da América. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH