Linha de caminho-de-ferro entre Chiuta e Nacala, em Moçambique, tem financiamento assegurado

8 May 2012

A futura linha de caminho-de-ferro ligando Chiuta, na província de Tete, e Nacala, em Nampula, tem já financiamento assegurado, afirmou terça-feira em Londres o director residente da empresa Eurasian Natural Resources Corporation (ENRC), o moçambicano José Eduardo Dai.

Em declarações ao matutino Notícias, de Maputo, José Dai disse que as negociações entre a ERNC e o governo de Moçambique estão em fase avançada e acrescentou que a linha, que irá exigir capitais vultuosos, terá, numa fase inicial, uma capacidade de 60 milhões toneladas por ano, prevendo-se um aumento posterior para 125 milhões de toneladas anuais.

Após uma audiência concedida pelo Presidente de Moçambique Armando Guebuza aos administradores da empresa, no âmbito da sua visita ao Reino Unido, José Eduardo Dai disse que quando a linha atingir uma capacidade de de 40 milhões de toneladas por ano, Moçambique tornar-se-á no quarto maior produtor mundial de carvão.

“A linha de caminho-de-ferro Chiuta/Nampula vai servir todos os operadores de carvão e também transportará carga a granel, além de passageiros e carga geral nos termos das conversações com o governo de Moçambique”, adiantou o director residente da ENRC, salientando que os estudos para a construção da linha iniciaram-se há três anos, encontrando-se actualmente na fase da execução do projecto pormenorizado de engenharia.

A ERNC está envolvida no projecto de exploração de carvão em Chitima, na província de Tete, prevendo-se que até aos anos 2015 ou 2016 inicie a exportação daquele minério na ordem de 40 milhões de toneladas ano.

Trata-se de uma empresa que lidera o mercado mundial de produção de ferro e crómio, sendo a terceira maior produtora mundial de alumínio, estando cotada na Bolsa de Valores de Londres. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH