Erros detectados na construção de um regadio em Moçambique estão a ser reparados

22 May 2012

Equipas técnicas estão a corrigir os erros detectados na construção do regadio de Tewe, na província da Zambézia, um empreendimento concebido para fomentar a produção do arroz na zona do Vale do Zambeze, afirmou o administrador do distrito de Mopeia, João Zamissa.

O regadio, cuja construção custou cerca de três milhões de dólares, financiados pelo governo central e pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), está a braços com problemas graves de perdas na estação de bombagem e na tubagem que conduz a água aos campos.

De acordo com o matutino Notícias, de Maputo, as equipas que estão no terreno integram técnicos do empreiteiro da obra, a Hidroáfrica, empresa do grupo português Visabeira, bem assim do principal beneficiário do regadio, a Olam Moçambique, empresa que se propõe a investir cerca de 65 milhões de dólares na produção do arroz.

Em declarações ao jornal, o administrador João Zamissa assegurou que pelo ritmo dos trabalhos as correcções poderão ficar concluídas até às próximas sementeiras de arroz.

O regadio devia ter sido entregue às autoridades moçambicanas há mais de dois anos mas, devido a atrasos verificados na execução da obra e ao facto de terem sido detectados erros, continua por entregar, o que está a atrasar o calendário de investimentos da Olam Moçambique.

Nos termos do contrato de empreitada, a Hidroáfrica tem a tarefa de instalar o sistema de bombagem e garantir uma canalização para pelo menos 227 hectares, cabendo à Olam Moçambique a responsabilidade de, posteriormente, estender as condutas até atingir os 400 hectares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH