Suazilândia exporta minério de ferro para a Índia através de Moçambique

7 August 2012

Dois milhões de toneladas de minério de ferro da Suazilândia serão anualmente transportadas pelo caminho-de-ferro de Goba e exportadas através do porto de Maputo, informou o matutino estatal Notícias, de Maputo.

O jornal acrescenta que o escoamento por aquela linha de caminho-de-ferro de minério de ferro extraído na Suazilândia representa o regresso ao principal objectivo da construção da linha de Goba há mais de 50 anos.

A linha foi construída na década de 60 do século passado na sequência do início das operações das minas de Ngwenya, na Suazilândia, mas poucos anos depois a extracção daquela matéria-prima foi considerada inviável em termos comerciais por o minério apresentar um nível de concentração de ferro inferior a 60%.

Entretanto, os jazigos foram recentemente reactivados já com novas tecnologias de extracção e processamento, tendo sido transportadas, desde Abril até à data, cerca de 670 mil toneladas de minério de ferro, posteriormente exportados para a Índia através do porto de Maputo.

Estas informações foram divulgados terça-feira em Maputo no decurso da cerimónia de mudança de nome para “Ligcabho Lesive” (Orgulho nacional, na língua da Suazilândia) de um navio operado pelo grupo indiano V.M. Salgaocar, concessionário das minas, e usado no transporte do minério.

David Gomes, director de Planeamento Estratégico e Desenvolvimento de Negócios na estatal Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM), disse que a duplicação do número de comboio diários na linha de Goba, de dois para quatro, ficou a dever-se à entrada das minas em funcionamento pleno.

Aquele responsável acrescentou que a meta é transportar pelo menos dois milhões de toneladas de minério de ferro, que no passado ditaram a construção do respectivo cais no terminal da Matola, que actualmente é usado para carvão.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH