Rapidez na reconstrução do sistema ferroviário de Angola é inédita em África

15 August 2012

A rapidez com que o sistema ferroviário de Angola foi reconstruido é algo de inédito no continente africano, afirmou na cidade de Lubango o ministro dos Transportes, Augusto Tomás, citado pela agência noticiosa angolana Angop.

Dizendo que em alguns anos foram reconstruidos 2700 quilómetros de linhas de caminho-de-ferro, o ministro disse que foram gastos nas três linhas principais – Luanda, Benguela e Namibe (antiga Moçâmedes) – mais de 3,3 mil milhões de dólares.

Augusto Tomás salientou que o programa de reconstrução das linhas de caminho-de-ferro incluiu as linhas propriamente ditas e 148 estações, tendo sido ainda adquiridas 243 unidades de material circulante, entre locomotivas, vagões e carruagens, e construídos oficinas e centros de formação profissional.

“As três linhas de caminhos-de-ferro já consumiram, no seu conjunto, 3,3 mil milhões de dólares, mas ainda há outras tarefas por realizar pelo que a modernização dos caminhos-de-ferro vai continuar”, disse.

As obras de reconstrução das 3 linhas férreas de Angola foram executadas por empresas chinesas com financiamento de Pequim. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH