Fábrica do projecto Angola LNG iniciou testes antecipando inauguração oficial

22 August 2012

A unidade fabril de processamento e liquefacção de gás natural do projecto Angola LNG encontra-se em fase experimental antecipando a inauguração oficial que deverá ocorrer ainda este mês, informou o estatal Jornal de Angola.

Com um custo global de 10 mil milhões de dólares, o projecto Angola LNG apresenta como parceiros o grupo norte-americano Chevron, com 36,4%, a estatal Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) com 22,8% e os grupos italiano ENI, francês Total e britânico BP todos com uma participação de 13,6% cada.

Quando estiver em laboração plena, a fábrica terá uma capacidade instalada para processar 5,2 milhões de toneladas de gás natural por ano e produzir três tipos de gases, gás natural liquefeito, propano e butano, com uma fatia a ser diariamente entregue à Sonangol para o abastecimento do mercado nacional.

Sendo o maior projecto de sempre construído no município do Soyo, província do Zaire, a unidade fabril, que ocupa uma extensão de 430 hectares, está praticamente concluída, faltando apenas a construção do gasoduto que vai transportar o gás natural dos blocos 0 e 14 localizados na província de Cabinda.

A nível do município do Soyo, o projecto conta com uma rede de gasodutos com mais de 500 quilómetros que vão transportar o gás dos campos de exploração no mar e em terra a partir dos blocos 2 e 17 na província do Zaire.

O director geral da Angola LNG, Daniel Rocha, disse que a fábrica vai operar com sete navios encomendados para o transporte de gás natural para os mercados de consumo, nomeadamente Ásia, para onde vai ser canalizado cerca de 50% do produto, Europa e América do Norte.

Daniel Rocha disse ainda que seis navios já se encontram em Angola, três dos quais foram alugados a empresas de exploração de gás, enquanto o sétimo navio está ainda em construção na Coreia do Sul. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH