Estudos para a exploração de depósitos de fosfatos em Moçambique estão quase prontos

26 August 2012

Os estudos de viabilidade técnica e económica da exploração de depósitos de fosfatos no distrito de Monapo, província de Nampula, ficarão concluídos antes do final do ano, de acordo com o jornal Notícias, de Maputo.

Tais estudos incluem a utilização daquele minério para a produção de adubos, numa fábrica cuja construção está projectada para a cidade de Nacala, num investimento de milhões de dólares.

Em Julho passado, o director para África do grupo brasileiro Vale, Ricardo Saad, disse que os estudos estavam numa fase muito avançada e acrescentou terem sido despendidos até à data 20 milhões de dólares em sondagens, ensaios laboratoriais, estudos de pré-viabilidade, licenciamento ambiental e consultas públicas.

Com uma capacidade para a produção de 42 milhões de toneladas de fosfato, a zona com potencial está localizada a cerca de 130 quilómetros da cidade de Nampula e foi entregue em regime de concessão à Vale Moçambique por um período de 30 anos.

Este projecto da Vale Moçambique inclui a construção de um complexo industrial para a produção de adubos, no distrito costeiro de Nacala-a-Velha, num projecto que ficará localizado na zona de Nanare, numa área de 700 hectares.

O projecto de produção de adubos é apenas uma parte menor dos grandes investimentos da Vale em Nampula, nomeadamente a construção e exploração de uma linha de caminho-de-ferro de 912 quilómetros, entre as cidades de Moatize, na província de Tete, e o porto de Nacala.

A obra será executada por um consórcio em que a brasileira Vale tem 80% e o governo de Moçambique, através da empresa estatal Portos e Caminhos de Ferro de Mocambique (CFM) os restantes 20%. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH